bate papo galos de combate Brasil

domingo, 19 de julho de 2015


ARBITRARIEDADE DO IBAMA NO RIO GRANDE DO NORTE CAUSA MORTE DE GALISTA E ASSASSINATO DE MAIS DE CEM AVES!

 
        IBAMA e a Polícia Rodoviária Federal provocam a morte de criador de galos combatente no Rio grande do norte. A “polícia rodoviária” induzida capciosamente pelos “técnicos do ibama”, em uma ação sem a mínima inteligência e preparo, adentraram em uma chácara que estavam reunidos cerca de 200 criadores, atirando e gritando como se bandidos fossem, na prática de um assalto. 0s aficionados do galismo se assustaram com a truculência da ação, pois carros foram atingidos por balas disparadas por essa “polícia” despreparada e sem comando. Houve tumulto, pois o “Modus operandi” utilizado, foi de uma polícia claramente desviada da função. Nessa correria um senhor teve um início de AVC e caiu. Quando tentaram ajudar esse senhor que necessitava urgente de cuidados médicos. - SE OUVIU  uma voz de comando: Larguem esse infeliz aí ! Não é para socorrer ! Esse vagabundo está fingindo ! ..... Não, ele não estava fingindo e veio a óbito..... Agora o comandante da “operação” nefasta diz que prestou o socorro. Mentira. Se tivessem socorrido esse senhor, com certeza ele estaria com vida. A “responsável” pela operação do Ibama, depois, veio através da entrevista televisiva, com a “cara de santa”, de quem zela e cuida dos animais, dizer, que os galos apreendidos na operação se destinaria a pesquisa (ou seja exterminados). 0 Ibama vem realizando essas apreensões de galos da raça combatente em todo o Brasil. Em todas essas “operações”, os galos apreendidos “são sacrificados”. Sejam jogados em fornalhas ardentes, sejam mortos e jogados ao chão, sejam jogados nos zoológicos para serem dilacerados pelos jacarés e sob os risos dos “técnicos do ibama” que se deliciam com a tentativa de fuga dos galos, lutando pela vida sem a mínima chance..... 


Qual o objetivo dessas perseguições aos galos combatente feito pelo IBAMA ? 

De onde está “partindo” essa ordem de extermínio ?

Quem pode ajudar a salvar os galos combatentes ?

  ABSURDO ESTE TIPO DE AÇÃO ARBITRÁRIA QUE MATA AS NOSSAS AVES, QUE CUIDAMOS COM TODO CARINHO DO MUNDO, PARA SEREM ASSASSINADAS SEM DIREITO A DEFESA, ANIMAIS QUE NÃO PERTENCEM A NOSSA FAUNA, E QUE SÓ EXISTEM POR NÓS PRESERVADORES QUE IMPORTAMOS AS AVES COMBATENTES  E QUE BRIGAM POR INSTINTO, DESDE DE PINTOS NOVOS JÁ BRIGAM E TEMOS QUE SEPARAR, APENAS SELECIONAMOS E DAMOS CONDIÇÕES FÍSICAS PARA QUE FAÇAM BOAS APRESENTAÇÕES, COMO TODO ATLETA  PRECISA, NÓS TEMOS NOSSOS DIREITO E NÃO É MAIS TOLERÁVEL SERMOS TRATADOS COMO BANDIDOS TODOS OS GALISTAS DO BRASIL DEVEM SE UNIR E LUTAR CONTRA ESSES MAL INFORMADOS QUE SE APROVEITAM DA FARDA PARA COMETER ATROCIDADES E SOMOS MUITOS DE TODAS AS CLASSES E PROFISSÕES UNIDOS POR UM ESPORTE MILENAR, TEMOS QUE FAZER UM MOBILIZAÇÃO NACIONAL DE GRANDE REPERCUSSÃO E APROVEITARMOS A JURISPRUDÊNCIA DA JUÍZA DA PARAÍBA PARA REGULARIZAR NOSSO ESPORTE NACIONALMENTE.

DIVULGUEM É HORA DE DAR BASTA A ESTAS ATROCIDADES!


domingo, 12 de julho de 2015

Venda de Aves de alto nível - para investidores exigentes


AVES DE ALTO NÍVEL GENÉTICO PARA VENDA!



            FRANGO SELECIONADO: FILHO DO CRISTUDO GALO COM 5 COMBATES O ÚLTIMO COMBATE GANHOU UM TORNEIO EM MENOR TEMPO FEZ TRÊS PRESAS PRIMEIRA TUK DO LADO DIREITO SEGUNDA TUK NO LADO ESQUERDO E TERCEIRA COLOCOU CHÃO, JÁ VI GALO DE ESPORA MAS IGUAL ESTE NÃO, ESPORA FORA DO COMUM, APENAS UM BANHOU POIS ACERTOU DE INÍCIO O BICO, ANIMAL DE MUITA FIBRA E DESCENDENTE DE GALOS GANHADORES EM MATRIZ IRMÃ DO FENÔMENO COSTEIRO COM VELOCIDADE RINO EM MATRIZ CUIABÁ, PARA INVESTIDOR EXIGENTE.

         NESSE ESPORTE É NORMAL VEMOS PESSOAS QUE NÃO TEM COMPROMISSO EM PASSAR ANIMAIS QUE PRESTAM PARA OS FUTUROS INVESTIDORES, POIS MESMO AQUELAS PESSOAS QUE VENDEM A MUITO TEMPO E TENDO ANIMAIS DE QUALIDADE NÃO SABE CASAR UMA CRIA, TAREFA MUITO DIFÍCIL, E VENDEM POR LINHAGEM DE GALO E GALINHA, E NÃO SABEM SE ESSA CRIA OFERECIDA VÃO DAR BONS FRUTOS, VISANDO ESSA LINHA DE RACIOCÍNIO E TAMBÉM FAZENDO PARCERIAS COM CRIADORES QUE INVESTIRAM MUITO EM ANIMAIS TOP DE LINHA A VÁRIAS DÉCADAS, PARCEIROS QUE SÃO EMPRESÁRIOS FIRMARAM UM COMPROMISSO EM ESTAR PASSANDO RECRIAS QUE ESTÃO APROVANDO, E COM O BANCO GENÉTICO QUE TEMOS EM VÁRIAS LINHAGENS SEJA FORNECENDO REPRODUTORES E MATRIZES TOP DE LINHA FAZENDO CRUZAMENTOS PARA O CRIATÓRIO E AS CRIAS APROVADAS VÃO SENDO DISPONIBILIZADA AOS INVESTIDORES QUERENDO FAZER DESTA FORMA UMA GRANDE FONTE DE ANIMAIS DE QUALIDADE, PARA OS AMANTES E APAIXONADOS DESSE ESPORTE E TAMBÉM AOS AMIGOS INICIANTES QUE QUEREM FAZER BONITO SEJAM BEM VINDOS, UNIDOS SOMOS MAIS FORTES E COM A UNIÃO PODEMOS REGULARIZAR NOSSO ESPORTE E FAZER DELE TAMBÉM UMA FEBRE NACIONAL ASSIM COMO NOS PAÍSES VIZINHOS QUE TEM SUAS ARENAS E ESTÁDIOS, VIVA A CULTURA POPULAR BRASILEIRA, VIVA O GALISMO, VIVA O BRASIL!  


EMAILS: carlosjuniorbope@gmail.com, amaral1955@yahoo.com.br




MAIORES INFORMAÇÕES NO PRIVADO!

domingo, 7 de junho de 2015

O caminho da legalização e fim da perseguição do nosso esporte



Anapaeco e Ong Viva galo o caminho para a legalização 

            
       
  - http://anapaeco.blogspot.com.br/p/fale-conosco.html

A Palavra de um Galista: Leandro Merlin a ONG Viva Galo.
Na minha família tem vários policiais e explano mesmo! Digo: vou pra rinha me divertir! Lavar a minha alma e esquecer os meus problemas! Confraternizar com os meus amigos enfim fazer o que gosto! E ha quem cheire pó e de a bunda! Eu sou galista!!!! Policial tem que prender bandido e traficante! Não pessoas que mantem vivo uma parte da cultura brasileira de 500 anos. O galismo eh mais antigo q Jesus Cristo! Existem gravuras egipcianas entre outras pelo mundo q provam isso. Covardia eh fazer um animal sofrer de qualquer maneira seja não lhe concedendo água, alimento, carinho, atenção e cuidados adequados a cada um! 99% de quem esta lendo isso come carne! Já visitaram um matadouro comum de boi, galinha, porco ou peru??? Isso sim eh uma covardia!!! Covardia eh botar um galo de combate na panela sem antes lhe dar a chance de vencer um combate e poder ter o direito a envelhecer e reproduzir ate mesmo muitos que não sairão bons pra briga e eh obvio servirão de alimento! Eh melhor um garoto de 16 anos numa rinha tratando de galos do que vendendo drogas pelas esquinas matando direta e indiretamente seres humanos e não galinhas* eu leio, conheço a verdade do homem e a verdade q eh Cristo Jesus* sou instruído! Tenho cultura! A hipocrisia eh o oposto da sabedoria! Ignorância de um "mata" a alegria de muitos. Rinha de galos gera empregos e alimentos nas panelas de muitos brasileiros humildes, sejam pelo salario de um tratador, um encostador, um criador, ou através dos próprios galos q morrem e são muitas vezes doados a pessoas carentes para se alimentarem! Acorda Brasil! Enquanto vocês se preocupam comigo galista, os governantes estão eh tirando as suas "vidas" direta ou indiretamente.
*************************** Viva o Galismo*************************************

      ANAPAECO - Associação Nacional de Criadores e Preservadores das Aves Exóticas Combatentes

ONG VIVA GALO


A ONG VIVA GALO, tem como objetivo a preservança e combate ao abuso de autoridade contra as aves de combate em nosso país. 
Venha fazer parte desta luta pois A LUTA NÃO È MAIS DE GALOS E SIM DE HOMENS.

Curta nossa fan page no Facebook: http://fb.com/ongvivagalo


GALOS DE COMBATE BRASIL  2015, parabeniza a iniciativa da ANAPAECO E ONG VIVA GALO, espero que agora o nosso esporte seja respeitado de verdade e nunca  mais ver nossas aves sendo assassinadas sem direito a defesa covardemente por pessoas que não tem nenhum conhecimento do nosso esporte.

segunda-feira, 6 de abril de 2015


REGULAMENTO GALISMO BRASILEIRO


VERSÃO ATUALIZADA EM 15/02/2004

MISSÃO : Promover a integração dos associados, através do valorização do Galismo no Brasil .

NOVO REGULAMENTO
Em 19/01/2002, reuniram-se no Rio de Janeiro, os principais galistas, criadores e juristas que militam à favor do esporte, para fundação de uma associação forte em defesa da raça combatente. Este encontro resultou-se na elaboração e fundação da Associação Esportiva e de Preservação Brasileira de Criadores de Galos de Raça Combatente. Resolveu-se também fazer algumas alterações no Regulamento atual, visando dar mais condições na legalização e oficialização de nossa prática desportiva. Pedimos aos demais galistas e dirigentes de rinhas do País, a sua adesão, e aceitação do novo regulamento.
1 - OBJETIVOS DESTE REGULAMENTO
a) Preservar os Galos de origem das raças combatentes, diminuindo sua agressividade natural nas disputas e fazendo com que estas se realizem, na mais absoluta igualdade de condições entre os galos competidores.
b) Fazer respeitar os instintos natos dos Galos combatentes, não permitindo que sejam obrigados a combater acima de suas forças ou contra sua vontade.
c) Permitir as mesmas chances de vitória a todos os participantes, independente de sua situação sócio-econômica, de maneira a sustentar a evolução do Galismo em todas as camadas sociais, resultando no aparecimento de novos criadores e preservadores das raças combatentes.
d ) Garantir a lisura das disputas, com a eliminação das possibilidades de ocorrências de quaisquer atos fraudulentos.
2 - JUIZ ÁRBITRO DO COMBATE ASSISTIDO
O juiz é autoridade máxima dos combates, nas ocasiões mais difíceis terá 15 segundos para melhor analisar a situação e tomar a sua decisão. A Diretoria do Clube poderá, a qualquer momento, revogar a decisão do juiz e chamar a si a responsabilidade sobre o combate.
3. PESAGEM E MEDIÇÃO DOS COMPETIDORES
a) Os galos serão pesados e anilhados por uma comissão designada pela Diretoria (de preferência pelo juiz e seu auxiliar), sempre à vista dos responsáveis pelos Galos. Este peso registrado prevalecerá até a hora do combate e os galos não mais serão pesados ou medidos.
b) Ao entregar sua listagem com as brigas formadas, será cobrada uma caução de cada STUD e, devolvida após o seu último combate.
c) As anilhas só poderão ser retiradas pelo juiz, na hora do combate, que deverá verificar se as mesmas não foram adulteradas.
d) Quando o juiz ou proprietários entender que a parelha é desproporcional, antes a soltada, chamará a Diretoria que deverá remediar e repesar os galos e, decidir se abrirá ou não o combate.
e) Se um dos galos emparelhados perder sua anilha ou a mesma estiver solta, o juiz mandará que o mesmo seja pesado e medido, na presença do proprietário do galo adversário e de uma membro da Diretoria.
f) Galo considerado careca só compete por acordo, não podendo ter seus dados inserido no computador.
1. É considerado galo careca aquele que seu proprietário corte as penas do pescoço até o pé da crista. Neste caso, ele não pode competir pelo Regulamento.
2. O galo que estiver com a cabeça e parte do pescoço sem as penas devido a brigas anteriores. É permitido competir desde que seja limpo e desinfetado com produto próprio pelo juiz na hora do combate.
g) O proprietário e/ou tratador, deverá acompanhar a pesagem, medição e anilhamento dos galos, assinando no boletim referente a seu estúdio.
h) Não caberá aos proprietários, sob qualquer alegação, o direito de recusa de qualquer parelha selecionada pelo computador dentro dos limites permitidos.
4 - CRITÉRIOS DE EMPARELHAMENTO
a) Os dados de peso, tamanho, anilha dos galos, serão digitados no computador, através de um sistema desenvolvido pela ASSOCIAÇÃO ESPORTIVA E DE PRESERVAÇÃO BRASILEIRA DE CRIADORES DE GALOS DE RAÇA COMBATENTE, podendo qualquer participante analisar suas rotinas e procedimentos de programação.
b) Dependendo da abrangência da competição, poderá ser realizado emparelhamento somente entre galos de Estados diferentes, cidades diferentes ou até mesmo galos da mesma cidade, cabendo à Diretoria escolher a rotina adequada. Contudo, para as competições a nível nacional, é permitido somente combates entre galos de federações diferentes.
c) Os limites de peso e altura, além do critério das vantagens, poderá ser definido pelo operador do computador de acordo com a quantidade de galos inscritos. Porém, os limites máximos permitidos serão de :1. diferença de peso no máximo 2,5% do galo mais pesado e diferença de tamanho no máximo de 0,5 cm, desde que o mesmo galo não tenha duas vantagens. .Exemplos: galo 3,000 x 2,5 = 75 gramas
2. diferença de peso no máximo de 1,5 % do galo mais pesado e 0,5 cm, podendo o mesmo galo ter duas vantagens.
d) Para emparelhamento com limites superiores aos descritos anteriormente, somente com autorização dos proprietários, ou previamente acertado entre a Diretoria e proprietários, os limites máximos para a competição. Casos assim, somente se justificarão em competições que tenham um número reduzido de galos.
e) Após realizado o emparelhamento, deverá ser divulgado a listagem das parelhas, contendo todos os dados dos competidores. A seqüência das parelhas é aleatória, portanto, deverá ser acatada por todos os participantes. Será
ainda divulgado a lista de galos não emparelhados.
f) As parelhas feitas por acordo (na mesa), só poderão existir entre galos que tenham sido anilhados e digitados no computador, ou seja, galos que constem da lista de não emparelhados. Os galos emparelhados desta forma somente poderão concorrer a eventuais premiações, com a decisão da Diretoria.
g) Para as parelhas feitas por acordo, deverá ser obedecido os limites de diferença entre pesos de no máximo 3,5% do galo mais pesado, sendo o limite máximo do tamanho de 1,5 cm.
5 - TEMPO DO COMBATE ASSISTIDO
a) O tempo do combate será de 55 minutos (cinquenta e cinco minutos), com o primeiro refresco de 20 (vinte) minutos, o segundo refresco de 20 (vinte ) minutos e o terceiro de 15(quinze) minutos.
b) Neste período de combate, o juiz deverá informar em voz alta a cada três ou cinco minutos o tempo de combate para orientação dos freqüentadores.
c) Em caso de paralisação para socorro de uma dos galos, o relógio será parado.
d) O refresco tem um tempo máximo permitido de 10 (dez) minutos, caso seja colocado os dois bicos e, no máximo 5 (cinco) minutos, se não for colocar o bico de baixo. Dentro deste tempo, todos os socorros legais serão permitidos, findo os quais, o juiz ordena a soltada dos galos.
e) Com o não cumprimento, o juiz desclassifica o encostador faltoso, aplica a pena de perda de 50% do topo ao adversário, troca o encostador e solta o combate.
f) Na pia, o galo só poderá permanecer sendo banhado três minutos.
06 - SOLTADA DOS GALOS
a) Após soltar os galos, com apenas uma das mãos sob o peito e os pés no tapete e, no centro do tambor, os encostadores ficam proibidos de entrar novamente no tambor, sem a autorização do juiz.
b) Em todas as encostas, os encostadores são obrigados a fazê-las com rapidez e, somente com uma das mãos, no peito do galo e, com os pés dos galos no tapete.
c) Caso os encostadores não obedeçam, serão advertidos ou suspensos pelo juiz, e suas faltas encaminhadas para a diretoria tomar as devidas providencias.
d) Os encostadores suspensos, serão punidos conforme artigo 30 - letra C.
e) A troca dos encostadores, somente poderá ser feita até o primeiro refresco, exceto a critério do juiz ou diretoria.
7- CONFERÊNCIA
a) Os Galos terão que reagir a cada 15 ( quinze ) segundos para continuar o combate.
Exemplos:
1. Quando separarem
2. Quando derem carreirinha
3. Quando estiverem juntos mas sem reagirem
Observação: Em todos os casos, deverão ser encostados.
b) No caso do Galo estiver sendo conferido e o tempo esgotar, a conferencia continuará. O gongo não salva o Galo da conferência.
c) Galos considerados estuporados (espavoridos), só confirma jogando bico, mesmo afastado do adversário, ou seja, jogando bico no ar e correndo, valendo também no processo da letra a do artigo 11.
d) Em todas as situações que houver dúvidas ao final dos refrescos, os Galos devem ser conferidos para reagirem.
e) Havendo indício (criterioso) de suspeita de fratura no decorrer o combate, o galo poderá ser examinado pelo juiz.
f) Terminado o combate e sendo declarado o resultado pelo juiz, os galos não serão mais conferidos.
8- ESPORAS

a) As esporas serão de plásticos com 2.8 centímetros e ponta 2 na escala oficial com 0 1.5 mm, mas com a mesma dureza das esporas naturais dos galos. (Modelo Nacional CGB).
b) As esporas serão fornecidas pelo clube. Na hora da soltada serão conferidas (pontas e altura) pelo juiz e desinfetadas com álcool.
c) No decorrer do combate, se a espora rodar ou estiver bamba (observado pelo juiz) poderá ser firmada ou recolocada.
d) As esporas deverão ser calçadas somente usando esparadrapo ou similar, mas sem uso do calço.

9- BICOS PROTETORES- INFERIOR E SUPERIOR
a) Os bicos serão examinados pelo juiz, que certificará que os mesmos não tenham serrilhas.
b) Os bicos só deverão ser amarados com linha.
c) No caso do Galo iniciar o combate com os bicos naturais,e os mesmos caírem ou aluírem visivelmente (observado pelo juiz), poderão ser amarrados e colocados os protetores a qualquer momento, mas dentro do prazo de 3(três) minutos para o bico de cima e, 5(cinco) minutos para o bico de baixo.
d) No caso dos Galos já estarem com os bicos protetores e eles caírem ou rodarem (observado pelo juiz) poderão ser recolocados a qualquer momento, mas dentro do prazo de 3(três) minutos para o bico de cima, e 5(cinco) minutos para o bico de baixo.
e) Não é permitido a substituição destes bicos protetores no decorrer do combate, exceto quando quebrarem ou amassarem (observado pelo juiz).
f) A sua troca só poderá ser feita nos refrescos.
g) Os bicos protetores no decorrer do combate só poderão ser colocados pelo Juiz, encostador, proprietário ou pessoa designada por este, antes do início do combate.
h) No caso do galo iniciar o combate com os bicos protetores e os mesmos caírem, o proprietário poderá optar por não recolocá-los, voltando somente a reutilizá-los no refresco (exceto quando o natural cair).
i) Mesmo que o proprietário peça, não é permitido a retirada dos bicos protetores no decorrer do combate.
10 - FRATURAS ACIDENTAIS - SUSPENSÃO DOS COMBATES ASSISTIDOS
a) Somente a quebra da asa no terço superior (osso junto ao corpo).
b) Quebra da coxa ou canela.
c) Fratura do maxilar (2 lados) observados pelo juiz.
d) Quando houver fratura do sabugo dos bicos naturais, impossibilitando a colocação dos bicos protetores (observado pelo juiz).
e) Nesses casos (a, b, c e d), o combate será suspenso e seu proprietário perderá 50% (cinqüenta por cento) do topo, e as apostas serão nulas (valendo somente o tempo decorrido).
f) Antes e depois de todos os refrescos, o Juiz é obrigado a conferir asas, pernas e queixos dos Galos.
g) Para os combates suspensos, conforme detalhado acima, o resultado para efeito de premiações será considerado vitória com os seguintes tempos:
1. combate suspenso no primeiro refresco, vitória com 25 minutos.
2. combate suspenso no segundo refresco, acrescerá de mais 10 minutos, no tempo decorrido.
3. combate suspenso no terceiro refresco, prevalecerá o tempo brigado.
h) Refresco
• No caso do galo estar sendo conferido e o tempo de refresco chegar, o galo continuará sendo conferido, não confirmando, mesmo que o tempo passe, para efeito de jogo o galo não refrescou.
i) Premiação
• Para efeito de premiação, será considerado o tempo correto brigado.
• Se caso, o galo morrer no refresco, o tempo será acrescido de mais 1 (um) minuto.
j) O tempo correto brigado sempre será cheio, acrescido para cima.
Exemplo: 21:30 minutos passará para 22:00 minutos.
11 - DECISÃO DOS COMBATES ASSISTIDOS
a) No caso dos galos estarem brigando e um deles parar de bicar ou correr, o juiz marcará 15 segundos para que ele reaja (bicada, solta, batida ou rebatida), não reagindo dentro desse prazo, terá mais 15 segundos para dar tiro de pé, bater ou rebater (bicar não será considerado). Não fazendo nenhuma dessas alternativas, será considerado vencido.
Obs: Neste processo, o tempo será anunciado em voz alta pelo Juiz a cada 5 segundos.
b) Quando o galo estiver em visível desvantagem (tucado, orado, mangalhado, inanimado sem reagir) imediatamente o juiz observa e inicia o processo conforme a letra a do artigo 11.
Obs.: Quando o galo estiver em visível desvantagem e entrar debaixo do adversário e, ficando preso(observado pelo juiz), inicia-se o processo conforme a letra a do artigo 11. Atingindo os 15 segundos manda-se encostá-lo; encostado e não reagindo, completará o processo(dar tiro de pé, bater ou rebater), bicada não será considerada.
c) No caso do galo correr afinado (humilhado) o juiz marcará 15 segundos para certificar e declara-lo derrotado.
d) No caso do galo espavorir e pular o tambor, será encostado, não alterando o tempo do processo da letra a do artigo 11.
e) No caso dos galos serem encostados (conferência - artigo 7 letra a/exemplos) e não reagirem serão feitos mais 4(quatro) tentativas e se ambos não reagirem o combate será suspenso. Valendo somente o tempo decorrido.
f) No caso dos galos separarem (observado pelo juiz), encostam-se; e se somente um deles reagir, prevalecerá a conferência conforme a letra a do artigo 11 para o outro. Porém, se voltarem a separar não interrompendo a contagem, torna-se a encostá-los. Findo o prazo, perderá o que não reagiu.
Exemplo 01: No caso dos galos voltarem a separar-se(observado pelo juiz), encostam-se; não reagindo, prevalecerá a vantagem de quem reagiu primeiro.
Exemplo 02: No caso dos galos voltarem a separar-se (observado pelo juiz), encostam-se; se o galo da vantagem não reagir e o outro sim, inicia-se novamente o processo da letra a do artigo 11, para o galo que não reagiu.
g) No caso do galo der carreirinha, como forma de defesa (ficando sem reagir), o juiz deverá conferi-lo a cada 15 segundos para certificar se está reagindo.
h) Quando o galo estiver no processo da letra a do artigo 11 e deitar após os primeiros 15 segundos, permanecerá deitado até o final do processo com o adversário. Todavia se dentro desse prazo, ele voltar a levantar e não reagir, será considerado derrotado. Se deitar antes dos primeiros 15 segundos, procede-se conforme a letra i do artigo 11.
i) Quando um dos galos levar tuque, ajoelhar ou deitar o juiz marcará 15 segundos. Findo o prazo, ele entra em infração, retira-se o galo de cima e continua a contagem por mais 15 segundos. Se o galo não levantar sozinho dentro do prazo, perderá o combate. Levantando e encostado com o adversário e, não reagindo, entrará no processo da letra a do artigo 11.
j) Ajoelhando ou deitando pela 2ª vez no mesmo refresco, o juiz conta 15 (quinze) segundos com os galos juntos, e não levantando perde o combate.
k) Se os dois galos deitarem ao mesmo tempo, isto é, um após o outro, o juiz marcará 15 segundos, a partir do momento em que o segundo galo deitar. Nesse prazo, se um deles levantar será considerado vencedor. Se nenhum dos galos levantar o combate será suspenso, valendo somente o tempo decorrido.
l) O galo que cair de mau jeito e não conseguir levantar (observado pelo juiz), poderá ser levantado, conforme os exemplos: batendo ou rebatendo e caindo de costas, em cima das asas, espremido no canto do tambor , com as pernas cruzadas, etc.
m) No caso do galo levar a pancada e cair de qualquer maneira, não poderá ser levantado.
Observações:
1. O galo levantado deverá permanecer por 03 (três) segundos de pé, para novamente ser encostado. Se nesse prazo ele voltar a deitar continuará o tempo do processo anterior.
2. Quando o galo levar tuque (pipoca), imediatamente o juiz pega e encerra o combate.
3. Quando o galo deitar, mesmo que já estaja aberta a contagem por estarem separados ou falta de reação, prevalecerá a contagem para quem deitou.
4. A perda de 50% do topo é sempre relativa à compensação ao adversário por este ter sido impedido de emparelhar seu galo com outro adversário.
12 – LEVANTAR (RETIRAR) O GALO INFERIOR
Quando um dos galos estiver em visível desvantagem, e seu proprietário requerer sua retirada, no intuito de preservá-lo, o juiz deverá consultar os presentes. Se dentre estes, não houver 3 ou mais manifestações em contrário, o galo será retirado, sendo o tempo do combate acrescido de 3 minutos.
13 - INFORMAÇÕES CORRETAS E VERDADEIRAS
a) Na ocasião de registrados os combates, os responsáveis pelos galos devem prestar informações certas e verdadeiras sobre a maneira de como perdeu ou correu e quantas vezes isto ocorreu, a fim de evitar problemas que poderão causar anulação da competição.
b) Nenhum galo poderá competir se for perdido mais de duas vezes.
c) Se a diretoria considerar de má fé as informações, poderá anular o combate, punindo os faltosos.
d) Estas informações deverão ser anunciadas pelo Juiz, em voz alta, antes da soltada dos combates.
14 - GALO QUE AFINAR (ESCABRIAR)
a) O galo que afinar nos primeiros minutos e não tiver avaria grave comprovada (observada pelo juiz) o combate será nulo, e seu proprietário à título de compensação pagará 50% do topo. Entretanto, se tiver será considerado derrotado.
Obs: Ainda que o galo esteja cortado de bico ou mesmo furado sem gravidade (observado pelo juiz), não será considerado derrotado. Galo de briga não corre com qualquer arranhão!
b) Mas se o galo afinar, após ter causado a quebra da asa (terço superior) ou perna (observado pelo juiz), o combate será nulo sem prejuízo para os adversários.
c) Nesses casos as apostas fora serão nulas.
15 - GALO DOENTE OU EMPAPADO
a) Se durante os primeiros minutos, um dos competidores apresentar sintomas de natureza grave, que lhe dificulte os movimentos, o Juiz deverá parar o combate e consultar a Diretoria ou, na ausência de diretores, convidar dois galistas de respeito, que autorizarão ou não a suspensão da competição, mas seu proprietário à título de compensação pagará 50% do topo ao adversário.
b) Em combates registrados, com um mais dias de antecedência, se um dos Galos amanhecer empapado (doente), este fato deverá ser imediatamente comunicado à Diretoria, a qual manterá o galo sob seu cuidado e guardado por um período de 6 a 10 horas, para observação. Se confirmada a falta de condição do Galo, e não havendo acordo, seu proprietário, a título de
compensação pagará 50% do topo.
c) Não havendo essa comunicação antecipada (10:00 horas), estando diretamente ligado no combate da disputa do prêmio, ele deverá competir.
16 - COMBATE EMPATADO
O combate estará empatado quando transcorrer o tempo regulamentar de 55 minutos e os dois galos estiverem de pé e reagindo.
17 - SUSPEITA DE FRAUDES OU IRREGULARIDADES
a) Caso o juiz detectar má fé na troca dos bicos ou encostas dos Galos pelos encostadores, assume a responsabilidade, adverte ou suspende o faltoso, substitui por outro e continua o combate.
b) No caso de detectar que o combate não seja lícito, pondo em risco a honestidade da disputa, o juiz paralisará o combate, convocando imediatamente a Diretoria do Clube para conhecimento e providências.
c) GALOS DOPADOS - as punições ficarão a cargo da Diretoria do Clube.
1. GALO INFERIOR - Sendo comprovado (pelo juiz ou dois parceiros idôneos), que o galo foi dopado no refresco ou decorrer do combate, o encostador será expulso. O combate prossegue normalmente, mas com o topo já perdido pelo infrator, independente do resultado final. As apostas seguem normalmente.
2. GALO SUPERIOR - Quando houver suspeita (pelo juiz ou dois parceiros idôneos), que o galo superior foi dopado, o juiz adverte e aguarda o transcorrer da disputa. O galo apresentando o sintoma característico e perdendo o combate, este será suspenso e seu proprietário perderá o topo para o adversário.
Obs.: No decorrer do combate, é expressamente proibido colocar água na boca para dar aos galos.
18 - SOCORRO AOS GALOS
Sempre que o juiz paralisar o combate para o atendimento a um dos galos, o outro galo terá direito aos mesmos procedimentos e oportunidades, dentro do mesmo prazo.
19 - GALOS SEM VISÃO OU SEM ÂNIMO PARA COMBATER
Estando os galos sem visão ou sem ânimo para combater (mantendo separados) independente da situação das apostas (100 x 10) o juiz deverá, após contar 15 segundos, ordenar o encostamento. Realizando tal procedimento sem sucesso por duas vezes, na 3ª os galos serão deixados soltos por 1 minuto. Não havendo engajamento efetivo em combate o mesmo será anulado.
Observação 1: Este processo deverá ocorrer a cada 5 minutos, findo este tempo, inicia-se novo processo.
Observação 2: Não será válido uma ou duas encostas no início do refresco e no final o tempo de 1 minuto para os galos separados.
20 - PARADAS CONJUGADAS
a) Nos combates suspensos, valem as paradas dentro do prazo decorrido.
Exemplo: Para efeito de apostas, quando o juiz ordenar pegar o galo para o refresco e na conferência, constatar alguma fratura que suspenda o combate, o galo terá completado o tempo.
b) As paradas conjugadas serão anuladas.
21 - PERMANÊNCIA NO RECINTO DO JUIZ E CADEIRAS DO PROPRIETÁRIO
No recinto destinado ao Juiz, na rinha e rebolo, só poderão permanecer os dois encostadores e um diretor. Cada proprietário terá direito a uma cadeira ao lado da porta da rinha ou rebolo.
22 - COMPETIÇÃO DESFEITA
Para abrir um combate feito pelo computador, ou feito por acordo e devidamente registrado pelos organizadores, o proprietário que desejar abrir a briga deverá pagar o topo integral ao adversário. Caso o galo do adversário esteja concorrendo a eventuais premiações, além do topo deverá ser pago o valor da premiação, que poderia ser conquistada pelo galo adversário.
23 - TOPOS E PARADAS
O Clube não é responsável por qualquer aspecto financeiro da disputa, o topo e as paradas jogadas devem ser claras e posteriormente confirmadas.
24 - HIGIENE DOS COMPETIDORES
Os Galos não poderão disputar competições sem estarem em perfeitas condições de higiene. A diretoria estará sempre à disposição dos Galistas para fazer um prévio exame no seu Galo, evitando um possível dissabor de vê-lo rejeitado pelo Juiz, mas se recusado, o proprietário do galo que não estiver em condições higiênicas perderá 50% (cinqüenta por cento) do opo.
25 – HEMORRAGIA
O socorro por hemorragia só se dará quando ocorrer da canela para baixo.
26 - SEMELHANÇA DE CARACTERÍSTICAS
Havendo uma semelhança que dificulte o reconhecimento dos competidores, o juiz é obrigado a colocar uma fita colorida diferenciada nos dois galos, bem como, a sua anotação no quadro de dados.
27 - OPERAÇÃO DE PÁLPEBRAS
Somente será cortada nos refrescos.
28 - PERFURAR OS GALOS PARA TIRAR O AR
É proibido no transcorrer do combate usar tesoura, agulha ou qualquer outro objeto para tirar o inchaço (ar) dos galos.
29 - FALTA DE LUZ
Em caso de falta de energia elétrica (rede), o combate terá prosseguimento com energia de gerador, se existente, ou será anulado após 15 minutos na falta da energia elétrica da rede ou do gerador.
30 - QUESTÕES DISCIPLINARES
a) É obrigação dos encostadores conhecer todo o presente regulamento e acatar imediatamente a todas as ordens do juiz.
b) Serão consideradas infrações dos encostadores:
1. Desobedecer o juiz.
2. Agredir física ou verbalmente o juiz, membros da diretoria, o adversário, os freqüentadores ou ainda desmerecer o galo adversário com palavrões.
3. Tentar reanimar o galo por meios ilegais, ou seja, sacudir, beliscar, soprar ou fazer cera.
c) As infrações dos encostadores serão punidas de acordo com a gravidade da situação, julgado pelo juiz e membros da diretoria presentes com advertência:
1. eliminação do combate.
2. suspensão por um dia da competição.
3. suspensão por toda a competição.
4. suspensão por tempo determinado de 15 a 90 dias.
5. suspensão por tempo indeterminado.
OBS. 1 - Na primeira falta, a advertência será dada em voz alta pelo juiz, na segunda advertência o juiz eliminará o encostador no combate, as demais penas serão aplicadas pela diretoria, sempre ouvindo o juiz.
d) Aos freqüentadores será proibido:
1. bater no tambor, bater palmas estridentes quando o galo estiver orado.
2. jogar qualquer objeto dentro do tambor durante o combate
3. gritar ou chamar o galo, estando este em falta (deitado)
4. pressionar o juiz com relação ao resultado ou tempo da competição
5. desrespeitar os galos combatentes com palavrões.
OBS. 2 - As faltas dos freqüentadores serão julgadas pela diretoria e as decisões deverão ser publicadas por escrito em lugar de acesso público aos freqüentadores.
e) Aos proprietários é terminantemente proibido a prática de maus tratos contra as aves sob qualquer pretexto. Os galos, após o término do combate serão devidamente medicados pelo proprietário, seu ajudante, ou melhor ainda pelo enfermeiro de plantão no rinhadeiro. No caso de um galista ficar na infração, sendo flagrado praticando crueldade ou sacrificando o galo, a Diretoria do rinhadeiro deverá puni-lo como se segue:
1. Advertência verbal e por escrito na primeira ocorrência.
2. Suspensão por 6 meses na segunda ocorrência.
3. Eliminação do convívio em todos os rinhadeiros do país através de comunicação à ASSOCIAÇÃO.
31 - CASOS OMISSOS
Nos casos omissos, a decisão será dada pela Diretoria, a qual também fará presente aos acontecimentos, dando o necessário apoio ao Juiz nas suas decisões mais difíceis.

VALORIZE O GALISMO APLICANDO CORRETAMENTE O REGULAMENTO

domingo, 22 de março de 2015

A luta continua... nota de agradecimento


 Parabéns a senhora Juíza da PB doutora Maria de fátima e ANAPAECO  representado pelo senhor Antônio Siliprandi o galismo agradece:


NOTA DE APLAUSOS : Nós, representantes da ANAPAECO (Associação Nacional de Criadores e Preservadores das Aves Exóticas e Combatentes do Brasil), vimos a público elogiar a coragem e lucidez de Vossa Excelência Dra Maria de Fátima Lúcia Ramalho, Juíza de Direito da 5º Vara da Fazenda da Capital do Estado da Paraíba, por aplicar a lei com justiça, imparcialidade e sensatez. Em decisão acertada a Magistrada classificou o galismo como conduta atípica ( não configura crime), na legislação Brasileira, mesmo sob forte pressão de falsos protetores dos animais, que fizeram críticas infundadas, desguarnecidas de conhecimentos técnicos, dispararam protestos preconceituosos, manteve-se firme em sua decisão. A respeito do assunto, passamos a fazer algumas considerações, analisando as questões Ambientais, Jurídicas, Morais e Culturais: 1- Ambientais : A questão Ambientalista é bem uniforme, pois os galos combatentes não fazem e nunca fizeram parte da fauna Brasileira, sendo originários principalmente do sudeste Asiático foram introduzidos no continente Sul-Americano em ato simultâneo à colonização. É fácil deduzir que não há habitat natural para tais aves em nossa fauna e flora, esses animais encontram guarida nos quintais, chácaras, sítios e fazendas dos apaixonados criadores, verdadeiros preservadores do galo combatente, sem os quais, essas maravilhosas aves fatalmente desapareceriam do nosso território. 2-Jurídica: Não há descrição legal que tipifique a conduta do galista como ilícita na legislação Pátria, a questão que se apegam os fictícios ambientalistas são os possíveis maus tratos, pois bem, quem faz tal alegação demonstra total desconhecimento do manejo com essas aves, pois sua especial condição de combatente requer cuidados diferenciados e assim recebem. A imputação dos maus tratos é afastada completamente, pois em seu manejo recebe cuidados e no combate exercem sua destinação genética,lutando uns contra os outros, não havendo ação do homem contra o animal, requisito indispensável pela norma para caracterização do crime de maus tratos, além disso, temos a irrelevância da conduta humana no exercício do galismo, pois os galos brigam independente da ação ou vontade do homem, o galo a contrário do que dizem os leigos, não é instigado, ele combate porque é um combatente natural, por excelência, não é nossa vontade que prevalece, mas sim, a natureza dos seus instintos, assim como uma onça abate implacavelmente sua presa, o galo briga! ; 3- Moral: Para abordar esse item vou me reportar a seguinte máxima do Direito: "O que pode mais, pode menos", nós aceitamos passivamente que milhões de aves sejam abatidas diariamente, sob a égide de servirem como alimento, pois bem, matar podemos, permitir que exerçam fielmente sua destinação genética, não! Supomos ser vital a nossa alimentação, pois bem, nunca soube que algum vegetariano houvesse morrido por inanição, muito menos por insuficiência nutricional. Vemos inertes essas aves serem sacrificadas quando apreendidas nos rinhadeiros ou nos criatórios, sob a alegação de ali estarem sujeitos a maus tratos, pois é, pasmem, os" ambientalistas" , usando a força do Poder Estatal ( Polícia), protegem essas aves dos galistas de uma forma bem moderna, civilizada e humana, eles as abatem. Abatemos aves para satisfazer nossa insaciável gula, pois não aceitamos que falte o delicioso coração de galinha, asinha de frango e sobrecoxa em nosso churrasco, matamos aves, pois elas abastecem a mesa da família brasileira em todo território nacional, movimentando cifras incalculáveis e aceitamos pois é economicamente viável, criticamos os combates, pois somos essencialmente HIPÓCRITAS! ; 4- Cultural: Nesta questão buscamos abrigo em nossa Lei Maior, a Constituição Federal em seu artigo 215 caput e parágrafos 1, ressalta: art. 215-O Estado garantirá a todos o pleno exercício dos direitos culturais e acesso às fontes da cultura nacional, e apoiará e incentivará a valorização e a difusão das manifestações culturais.
Parágrafo 1- O Estado protegerá as manifestações das culturas populares, indígenas e afro brasileiras, e das de outros grupos participantes do processo civilizatório nacional. É inegável a prática do galismo na cultura nacional, exercida principalmente nas camadas mais desfavorecidas da sociedade Pátria. Numa simples pesquisa encontramos registros escritos, pintados em quadros e gravuras seculares, sem contar depoimentos de várias pessoas cujas famílias são galistas a gerações, paixão que passa de pai pra filho se manifestando na árvore genealógica de incontáveis famílias brasileiras.
Assina: Antônio Siliprandi, Presidente da ANAPAECO,
CNPJ: 18358048/0001-31
Obrigado a todos pela paciência e atenção!

domingo, 4 de janeiro de 2015

MÉTODO DE TREINAMENTO MESTRE GAIOLINHA



TREINO COM O GRANDE GALISTA GAIOLINHA



Treino de galos de combate: Treino com um dos galistas mais respeitado do Brasil, conhecido por Gaiolinha, possui excelentes linhagens de galos combatentes, esse treino é o método que ele usa em seu criatório.

SELEÇÃO E TREINAMENTO ANTIGO CRIATÓRIO TULON - RJ


TREINAMENTO COMPLETO CRIATÓRIO TULON: Esse vídeo é excelente para os inciantes muito vendido por outros criadores, aqui disponibilizados para melhorar o manejo dos animais.



TRATO E SELEÇÃO COM ADEMIR GABARDO


GALOS DE COMBATE BRASIL 2015

sábado, 31 de maio de 2014

GALOS DE COMBATE 2014 - MELHORAMENTO GENÉTICO




CRUZAMENTOS CONSANGUÍNEO


Comecei a cruzar entre familiares e havendo lido muito sobre o assunto, um autor RICHARD STAMPS, aconselhava como único meio  conseguir uma linhagem uniforme, seria o INDEBREEDING, me lancei  sem medo a seguir seus métodos.
O INBREEDING aumenta e melhora a qualidade das aves, porem também aumenta e fixa os defeitos. Por isto e preciso selecionar muito bem as aves com que se deseja começar isto.

O tipo de ave, a plumagem, o temperamento, o acerto com as armas, o tipo de peleia são apenas algumas das qualidades que se pode fixar. OS defeitos que, sobretudo podem aparecer, seriam, que morde e não atira, que sai de nuca, que não bate, que não acerta e principalmente a falta de classe, de qualidade (raça). 
Existem duas classes de INBREEDING:

VERTICAL e a HORIZONTAL, a primeira e ao meu ver a melhor. O pai cruzando com suas boas filhas da muito bom resultado. Assim tabem cruzar o melhor filho com sua mãe e quase seguro obter êxito. E assim a seguir, avos com netas, tios com sobrinhas e vice-versa. 
  Na horizontal, e a que se faz entre meio-irmãos e parentes laterais. Ao meu ver e inferior a vertical y a decadência aparece antes.  Vi galos extraordinários com forca e violência que são produtos  de irmãos, porem creio que esta e uma exceção à regra. 
  Para obter bons resultados, tem que usar os reprodutores mais fortes e violentos, não mais velhos que 04 anos e que devam estar em plena saúde.  As fêmeas não devem ser usadas antes  da primeira muda de pena. 
   Richard Stamps disse  que usou o INBREEDING ate 15 vezes sem cruzar com outros sangues (refrescar) e não verificou nenhuma queda na qualidade, na resistência na genética.
   Eu nunca cheguei a tanto, durante uns 10 anos tive grande êxito, os galos eram violentíssimos e com um acerto espetacular, porem depois disto começaram a cair na forca,depois dos 10 minutos iam diminuindo, nunca perderam a classe, perdiam a briga sem correr, estava na hora de "refrescar" o sangue, colocando uma ave com as mesmas características da linhagem, mas que não seja parente.  Depois que colocar um galo novo na cria, deve voltar a usar os filhos deste  no sistema INDEBREEDING  com as novas famílias. 

  O INDEBREEDING tende a elevar a estatura  e baixar o peso, foi assim que se fez com o antigo OEG (old english game) no MODER GAME e exagerando, chegou-se ao EXBHITION GAME ou LARGE  MODERN GAME. Estes últimos não servem para a luta, somente para exibição, assim como tem acontecido com o SHAMO em alguns países onde não se lutam galos, mas os mantem para exibição. 

  Não ha dúvida que o ABUSO  do INDEBREEDING, traz a decadência para o combate, por isto temos que saber o tempo certo para refrescar o sangue. 
  O mais importante e começar com galos e galinhas de muito boa procedência, ninguém conseguira nada começando com crias medíocres ou sem certeza na qualidade.
  
  Depois de algumas cruzas, cada um escolhe os genes que deseja fixar em sua criação, deixando de lados às aves que tem características indesejáveis. 
   Muita gente só de ouvir falar, isto ou aquilo sobre este sistema, simplesmente não o usa ou não o tenta e jamais saberá se realmente da certo. 
   Em galos ninguém sabe tudo, estamos todos os dias aprendendo e ninguém poderá nos dizer qual e o segredo ou mágica, mas se não tentarmos, nunca saberemos. 
   O que faz com que tenhamos galos melhores e esta busca intensa em conseguirmos sobrepor nossos "adversários", sempre esperando que a próxima cruza, a próxima ninhada consigamos galos craques.
 
Este e um tema de muita controvérsia, muitos criadores tem diferentes opiniões sobre o assunto.  Porem, no fundo, e sem saber porque, muitos sabem, porque somente ouviram por ai, que nunca devem ceder(doar) suas galinhas de nossas crias. 
Com certeza, sabemos que diferentes linhagens de galos de combate, tem sido selecionados através dos seculos, para aniquilar o adversário. 
Isto, podemos comprovar através de nossos anos de criadores, vendo pelear nosso galos. Porem, o que ocorre com nossas galinhas??? Nunca as vimos pelear no rinhadeiro, calçadas com esporas. 
Como comprovamos que não nos equivocamos quando colocamos uma galinha cruzar com nossos galos??? Com que provas???  Fácil, dirão muitos, obviamente a única prova, e vendo os resultados de pais, irmãos e filhos. 
Porem como comprovar que o que buscamos esta na galinha e não no galo??
ou que o resultado se deve a um agem escondido dentro do galo???  Colocando assim a culpa do fracasso na galinha, Quantos anos perderemos de novo com uma nova cruza, cria?? 
    Por isto e sempre bom conseguir bons animais de boas fontes. Diz-se tabem que muita consanguinidade em muitas raças podem degenerar as aves. Por isto temos que ser prudentes e não exagerar. 
   Sempre temos ouvido que boas raças transmitem as boas galinhas, que
cruzadas com qualquer galo dão filhos bons. Porem os produtos, em sua forma de lutar, parecem sempre com os galos/pai.  Segundo os cientistas, em todas as espécies animais, a fêmea e a que maior conserva, o tipo médio e promédio da especie. Por sua conformação física, poderia ser evidente que o macho e o que corresponde ser mais forte, deixar mais traços seus. 
  No ser humano, tem sido comprovado que a inteligencia e herdada pela mãe em maior porcentagem. Nos animais inferiores, o predomínio da fêmea   em tamanho e forca sobre o macho. Segundo Darwin, os machos tem uma maior variabilidade e as fêmeas uma maior estabilidade.
  Por tanto a fêmea conserva mais as características da espécie.  No macho predomina a lei da evolução e na fêmea a lei da herança. aqui cabe mencionar uma frase que escutei de uma amigo meu. A UNICA CONSTANTE E A TROCA.  isto se refere a que estamos sempre evoluindo e dependemos um do outro. 
Alguns veem na fêmea a tendencia a reproduzir o tipo médio (por médio) da especie e outros notam que o macho e mais complexo e progressivo que a fêmea, que e mais simples e conservadora. Darwin recorda que: "em todo o reino animal a fêmea se assemelha ao macho jovem"  Também os recém nascidos, de espécimes diferentes, são parecidos, mais que estes mesmos quando adultos.
  A fêmea, em resumo, mostra mais seus ancestrais, o macho, mostra mais o futuro da especie. 
  Também se pensa que o elemento masculino tem um oficio de dispersão e divisão e o feminino de concentração, de unificação de coesão. O processo de diferenciação e individualização, corresponde maior parte ao macho (lei do progresso). Por isto temos que possuir =galinhas muito boas, conservadoras do tipo médio da especie, ela e a fixadora dos atributos da raça. 
  Uma vez que se tenha avançado e encontrado um bom atributo, fixe com a galinha.  Isto, acoplados com bons galos, que predomine a forca, a vontade de ganhar, que sejam galos raçudos, valentes. Por isto temos que definir, pra onde queremos levar nossa cria e o que queremos obter.  Por isto se queremos definir como exemplo, galos que mordem em qualquer parte, temos que cruzar galinhas filhas de galos deste estilo com galos deste estilo, empurradores x empurradoras, que batem na cabeça x batem na cabeça: bucheiros x bucheiros e assim por diante. 
  Então,devemos conhecer com certeza e sem sombra de dúvidas nossos reprodutores (fêmeas e machos) 
Em resumo, pessoalmente faço a comparação da genética da galinha com um CPU(COMPUTADOR), que armazena toda a memoria que se vá introduzindo nela (filhas, netas, bisnetas), enriquecendo mais, com informação fresca. No caso do galo, se assemelha com um disquete, ou CD, o qual trás sempre nova informação para ser colocada no CPU,no caso AS FÊMEAS.